segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

ORSSE - Encerramento da Temporada 2012


Após a série de Concertos Natalinos que evocaram as comemorações de final de ano da cidade de Aracaju e no Museu da Gente Sergipana, a ORSSE encerra com muita ALEGRIA seu ciclo nesta Temporada de Concertos de 2012.

A escolha da peça não poderia ser mais adequada, a Nona Sinfonia de Beethoven e seu espírito libertário, pleno de poesias sobre a vida, os seres humanos e a paz que precisa reinar entre os irmãos.

Sob a regência do Maestro Guilherme Mannis que destaca essa apresentação como "a culminância dos bons resultados do ano de 2012 perante seu público, patrocinador e mantenedores", a ORSSE apresentará seu último concerto do ano, no dia 20 de dezembro de 2012, às 20h30 no Teatro Tobias Barreto, com ingressos ao preço de R$20 e R$10.

Nem todo fim deve ser sinal de pesar e desânimo, ao contrário, em finais de temporadas, as orquestras demonstram o seu melhor, reservam para o seu público um concerto pleno de boas energias para que todos possam vivenciar a música em sua forma pura e radiante.

...Venha transformar o seu mundo, encontrar os amigos e prestigiar a Sua Orquestra!!



Programa:

Teatro Tobias Barreto
20, quinta-feira, 20h30
Ingressos R$20 e R$10

Guilherme Mannis, regente
Verônica Santos, soprano
Vanda Otero, mezzo-soprano
Carlos Eduardo, tenor
Cláudio-Alexandre Silva, baixo

Côro Sinfônico da ORSSE
Daniel Freire, regente

L. van Beethoven
Sinfonia N. 9, em ré menor, op. 25 "Coral"




quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Dezembro na Orquestra::::

  
A agenda de final de ano da nossa querida orquestra está prontíssima, após algumas alterações necessárias no repertório, aqui abro um espaço para lamentar a saída do Oratório de Natal de Bach do Encerramento da Temporada 2012. Devemos reconhecer todo esforço colocado pela direção do grupo, em manter pelo menos o último concerto, ainda que apenas um dia tenha restado para isso (seriam 20 e 21/12, agora apenas dia 20/12). Acreditem, os motivos culminaram com a alteração na programação foram mais fortes do que a decisão de realizar este magnífico concerto na previsão anual de nossa Temporada. A ORSSE sempre preza pelo compromisso artístico e cultural com seu maior tesouro, o público. Portanto o maestro Guilherme Mannis e toda a sua equipe, decidiram pelo não cancelamento dos concertos de final de ano e assim surgiu uma nova programação tão festiva quanto à anterior e tão bonita quanto os demais concertos de 2012.

Abaixo texto oficial da Secult, via Universo Político (http://www.universopolitico.com/colunista.php?noticia=15452&u=orsse-encerrara-temporada-2012-com-programacao-especial-de-natal)

As apresentações de natal começam no dia 6 de dezembro, no Museu da Gente Sergipana, a partir das 18h, e será uma verdadeira celebração do espírito natalino. O programa que será executado pelos maestros Guilherme Mannis e Daniel Nery contará com arranjos de peças conhecidas, como ‘Noite Feliz’, ‘Jingle Bells’, ‘A Christmas Celebration for Orchestra’, entre outras.

A apresentação contará ainda com convidados especiais como Antonio Carlos du Aracaju, banda Cataluzes e a cantora Amorosa, que interpretarão com a ORSSE músicas como ‘Pai-nosso do Vaqueiro’, ‘Meu Papagaio’, ‘Cheiro da Terra’ e muitas outras. Dando continuidade às apresentações de fim de ano, será realizado no dia 8 de dezembro, às 19h, no Parque da Sementeira, um concerto em celebração a Abertura das Celebrações Natalinas da Cidade de Aracaju, com entrada franca.

Concerto no TTB


Encerrando a temporada 2012 de concertos, a Orquestra Sinfônica realizará no Teatro Tobias Barreto no dia 20 de dezembro, a última apresentação da temporada. O concerto terá a presença toda especial do Coro Sinfônico da ORSSE e contará com a presença da soprano, Verônica Santos; da mezzo-soprano, Vanda Otero; do tenor Carlos Eduardo; e do baixo Cláudio-Alexandre Silva, que executarão com maestria a Sinfonia N. 9, em ré menor, op. 25 "Coral", de Beethoven.

Segundo Guilherme Mannis, as peças escolhidas para o encerramento da temporada, são, como em outros finais de ano, grandes obras sinfônico-corais. “No ano passado, realizamos de forma inédita "O Messias", de Händel. Neste ano, revisitamos a Nona Sinfonia de Beethoven, talvez uma das mais conhecidas e importantes obras do gênero. Uma peça que traz um encerramento de temporada perfeito, dedicado ao público que temos construído ao longo de seis sucessivas e vitoriosas temporadas de concerto”, analisa o regente.

Mannis ressalta ainda que o concerto será mais uma apresentação inesquecível, como diversas outras que a ORSSE realizou durante todo o ano de 2012. Com relação a temporada do próximo ano, ele adianta: “em 2013, as novidades estão prontas e serão divulgadas em breve. Traremos algumas novidades que surpreenderão nosso público”, finaliza.

 
PROGRAMAÇÃO:


Concerto "Auto de Natal" do Instituto Banese

Museu da Gente Sergipana
06, quinta-feira, 18h
Entrada Franca

Guilherme Mannis, regente
Daniel Nery, regente

Franz GRUBER (Arr.: Daniel Freire)
Noite Feliz

John WADE (Arr.: Daniel Freire)
Adeste Fideles

Camp KIRKLAND
Ouverture of Joy: A Christmas Celebration for Orchestra

James PIERPOINT (Arr.: Alexandre Brasolim)
Jingle Bells

Johann Sebastian BACH (Arr.: Alexandre Brasolim)
Jesus Alegria dos Homens, da Cantata 147

- Participação especial de Antonio Carlos du Aracaju:

Luiz GONZAGA
Pai-nosso do Vaqueiro

Tradicional sergipano
Meu Papagaio

- Participação especial de Cataluzes:

Claudio MIGUEL, Antônio AMARAL e VALDEFRÊ
Vida Cigana

Claudio MIGUEL e José de GOUVEIA
Cheiro da Terra

- Participação especial de Amorosa:

Ismar BARRETO
Viver Aracaju

Franz SCHUBERT
Ave Maria

Alfred POCHON
O primeiro Natal










Abertura das Celebrações Natalinas em Aracaju

Parque da Sementeira
08, sábado, 19h
Entrada Franca

Guilherme Mannis, regente

Franz GRUBER (Arr.: Daniel Freire)
Noite Feliz

John WADE (Arr.: Daniel Freire)
Adeste Fideles

Camp KIRKLAND
Ouverture of Joy: A Christmas Celebration for Orchestra

James PIERPOINT (Arr.: Alexandre Brasolim)
Jingle Bells

Johann Sebastian BACH (Arr.: Alexandre Brasolim)
Jesus Alegria dos Homens, da Cantata 147


Encerramento da Temporada 2012

Teatro Tobias Barreto
20, quinta-feira, 20h30
Ingressos R$20 e R$10

Guilherme Mannis, regente
Verônica Santos, soprano
Vanda Otero, mezzo-soprano
Carlos Eduardo, tenor
Cláudio-Alexandre Silva, baixo

Côro Sinfônico da ORSSE
Daniel Freire, regente

L. van Beethoven
Sinfonia N. 9, em ré menor, op. 25 "Coral"


Um Santo Natal e um Fim de Ano Especial para Todos Nós!

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Orsse apresenta “Cine Orquestra - Grandes Trilhas Sonoras do Cinema Mundial”


No próximo dia 22 de novembro, quinta-feira, às 20h30, no Teatro Tobias Barreto, a Orquestra Sinfônica de Sergipe apresentará um concerto dedicado a toda família e, em especial, aos cinéfilos. O programa, que faz parte da série Cajueiros da Orsse, tem como tema “Cine Orquestra - Grandes Trilhas Sonoras do Cinema Mundial” e promete trazer a magia do cinema ao palco do TTB, com os temas que encantaram a todos nas salas de projeção. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Teatro Tobias Barreto.

Uma realização da Secretaria de Estado da Cultura, sob a direção artística de Guilherme Mannis, patrocínio do Banese e Instituto Banese, a Orquestra Sinfônica de Sergipe apresenta um concerto com temas de filmes, em sua maioria, composições originais, exatamente como foram concebidas para o cinema. A regência será conjunta entre os maestros Guilherme Mannis e Daniel Nery. As obras exigem uma
excelência técnica e possuem grande expressividade, como se ganhassem vida do cinema para o teatro. Destaque para o compositor John Williams, um dos maiores compositores de trilhas sonoras de Holywood . Com 47 indicações ao Oscar e cinco vezes vencedor, Williams tem forte influência de compositores sinfônicos como Shostakovich, Prokofiev e Holst. De John Williams, a Orsse executará Raiders March, do filme Indiana Jones, Superman, a suíte Star Wars, A Lista de Schindler e Harry Potter. Completam ainda o programa Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel, de Howard Shore, Por Una Cabeza (Perfume de Mulher) de Carlos Gardel e Piratas do Caribe, de Klaus Badelt.

Segundo o diretor artístico da Orsse, maestro Guilherme Mannis, o concerto demonstrará a capacidade técnica da orquestra: "Trilhas como Harry Potter são dificílimas e intrigantes. Um compositor como
Williams utiliza toda a herança orquestral dos grandes compositores, em especial os do século XX, e é ainda um criador: desenvolve novos timbres, sempre em função de uma narrativa cinematográfica. Uma grande
parcela do sucesso das películas deriva da competência destes mestres."


  
Famosa cena do filme "Perfume de Mulher" - Por una Cabeza

Orquestra Sinfônica de Sergipe - Série Cajueiros IX
22 de novembro de 2012, 20h30
Teatro Tobias Barreto
Ingressos: R$20,00 (inteira), R$10,00 (meia)


"Cine Orquestra - Grandes Trilhas Sonoras do Cinema Mundial"
Daniel NERY e Guilherme MANNIS, regentes
Márcio RODRIGUES, violino

John WILLIAMS
Raiders March - Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida
Super Man March - Super-Homem
Suíte Star Wars
A Lista de Schindler
Suíte Sinfônica de Harry Potter e a Pedra Filosofal

Carlos GARDEL
Por una cabeza - Perfume de Mulher

Howard SHORE (Arr. Bob Cerulli)
Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel

Klaus BADELT (Arr. Ted Ricketts)
Piratas do Caribe - A Maldição do Pérola Negra

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

ORSSE sob a regência de Daniel Nery na série Sons da Catedral




No próximo dia 09 de novembro, sexta-feira, às 19h, a Catedral Metropolitana de Aracaju despede-se da série Sons da Catedral com a Orquestra Sinfônica de Sergipe, concluindo um importante ciclo de
apresentações nesse templo da história arquitetônica e religiosa da cidade. Com a realização da Secretaria de Estado da Cultura, sob a direção artística de Guilherme Mannis, e patrocínio do Banese e Instituto Banese, a Orquestra Sinfônica de Sergipe vem diversificando sua atuação e marcando presença no cotidiano do público sergipano.

A série Sons da Catedral fez, ao longo desse ano, diferentes concertos abrangendo todos os estilos de períodos da música sinfônica com solistas e maestros convidados de destaque no cenário nacional,
ampliando o acesso a cultura no estado. Para fechar a série, o concerto contará um repertório inteiramente italiano, homenageando os bravos artistas integrantes da “missão italiana” aportados em Sergipe no início do séc. XX. Tais artistas conferiram à Catedral seu aspecto atual: o melhor da arte europeia está refletido neste imponente símbolo da fé aracajuana.

Sob a regência do maestro Daniel Nery, a Orquestra traz a cantata Stabat Mater, de Giovanni Batista Pergolesi. Obra sacra composta em 1736, para orquestra, soprano e contralto solistas, Stabat Mater significa “Estava a Mãe” em latim, e trata do profundo sofrimento da Virgem Maria diante da crucificação de seu filho, Jesus Cristo.Verônica Santos, preparadora vocal do Coro Sinfônico da Orsse e Vanda Otero, serão as solistas convidadas. Completa ainda o concerto, a Suíte III das Danças e Árias antigas para Alaúde, do italiano Ottorino
Respighi.



Daniel Nery, maestro 

                                          

Verônica Santos, soprano
Vanda Otero, contralto


PROGRAMAÇÃO

Orquestra Sinfônica de Sergipe - “Sons da Catedral IV”

09 de novembro de 2012, sexta-feira, 19h
Catedral Metropolitana de Aracaju
Entrada Franca

Daniel NERY, regente
Verônica SANTOS, soprano
Vanda OTERO, contralto

Ottorino RESPIGHI (1879-1936)
Danças e Árias antigas para Alaúde - Suíte III
I. Ignoto: Italiana (final do séc. XVI)
II. G. B. Besardo: Arie di Corte (séc. XVI)
III. Ignotto: Siciliana (final do séc. XVI)
IV. Roncalli: Passacaglia (1692)

Giovanni Battista PERGOLESI (1710-1736)

Stabat Mater
I. Stabat Mater Dolorosa
II. Cujus animam gementem
III. O quam tristis et afflicta
IV. Quae moerebat et dolebat
V. Quis est homo qui non fleret
VI. Vidit suum dulcem natum
VII. Sancta Mater, istud agas
VIII. Fac, ut portem Christi moetem
IX. Inflammatus et accensus
X. Quando corpus morietur

Realização: Governo de Sergipe - Secretaria de Estado da Cultura
Patrocínio: Instituto Banese

sábado, 20 de outubro de 2012

ORSSE faz concerto com pianista sergipano Manoel Jr. e o maestro mexicano Jesús Medina



No dia 25 de outubro, quinta-feira, às 20h30, pela série Cajueiro VIII, a Orquestra Sinfônica de Sergipe, no TTB, fará uma homenagem a todos os servidores públicos sergipanos, num concerto de nível internacional com o regente convidado Jesus Medina e o talentoso pianista sergipano, Manoel Vieira Júnior.

Através da Secretaria de Estado da Cultura, com patrocínio do Banese

e Instituto Banese, este concerto encerra um importante ciclo da Orsse neste ano, com a participação de diversos regentes convidados do Brasil e do mundo. A exemplo de outras orquestras, receber um regente convidado para apresentar-se junto aos músicos e solistas da Orsse é expor outros pontos de vista musicais não só para a orquestra, como também para o público.

Em 2012, importantes regentes estiveram à frente da Orsse, como Isaac Karabtchevsky, Piotr Borkowski, Nurhan Arman, Helder Trefzger, Marcelo de Jesus, Jamil Maluff e Francesco Lavecchia. Isso é representa um triunfo para a música clássica do nosso estado, a medida que esses regentes deixam-se convidar, prestigiam o trabalho realizado em Sergipe e deixam uma importante contribuição artística para a Temporada de concertos, pois cada maestro executa a música com a técnica que desenvolvida em suas carreiras e nenhuma é igual a outra.

Sob a regência do mexicano Jesús Medina, o concerto trará importantes obras sinfônicas, para conhecer a cultura daquele país, a obra Sinfonietta do mexicano Pablo Moncayo, repleta de ritmos e melodias folclóricas do país. Em seguida, solando pela quarta vez com a Orsse, Manoel Vieira Junior interpreta o vibrante concerto para piano de Sergei Prokofiev e, por fim, a noite encerra com a visceral Sinfonia n. 6 em Si menor, a "Patética", de Tchaikovsky, considerada um testemunho dos seus sentimentos mais profundos.

Os ingressos estão a venda na bilheteria do Teatro Tobias Bareeto. Servidor público pode adquirir sua cortesia através do 3179-1480.


SERVIÇO

Série Cajueiros VIII
25 de outubro de 2012
Teatro Tobias Barreto, 20h30
Ingressos R$20 e R$10

Jesus MEDINA, regente convidado
Manoel VIEIRA Jr., piano

Jose Pablo MONCAYO (1912-1958)
Sinfonietta

Serge PROKOFIEV (1891-1953)
Concerto para piano e orquestra nº1, op.10, em ré bemol maior

Pyotr Ilyich Tchaikovsky (1840-1893)
Sinfonia No. 6 in Si menor, Op. 74, Patética.
I. Adagio – Allegro non troppo
II. Allegro con grazia
III. Allegro molto vivace
IV. Finale: Adagio lamento

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Brass Ensemble da ORSSE se apresenta na série Terças Musicais

Quinteto de Metais, 2010/Fabiana Costa/Secult

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult), através da Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE), com patrocínio do Instituto Banese e do Banese, continua a potencializar a música de concerto em Sergipe. Nesta terça-feira, 16 de outubro, o grupo de metais da ORSSE realizarão o último concerto da série Terças Musicais, na Biblioteca Pública Epifânio Dória, às 20h, na sala Antônio Carlos Plech, com entrada franca.

Esta série tem feito com que os músicos se aprimorem na formação camerística com um trabalho que normalmente não fazem na orquestra. Nessa formação musical os músicos testam seu desempenho individual como solistas, e findam por desenvolver os temas e a musicalidade completa para a execução das obras.

Através desse projeto, os músicos se aprimoram e a plateia tem mais contato com a execução das obras, o que em um teatro seria mais amplo, em uma sala de câmara a aproximação facilita o entendimento entre ouvintes e executantes. 

De acordo com o maestro, Daniel Nery, a música de câmara faz com que os poucos músicos comunguem em torno de uma única obra. “A câmara, ou recinto pequeno, diferentemente dos grandes teatros, é o lugar ideal para a realização destes concertos, uma vez que possui caráter intimista ideal a provocar maior atenção dos espectadores, prontos a ater-se aos mínimos detalhes”, disse.

Neste ano a série contemplou todos os naipes da orquestra em diferentes concertos: sopros, cordas e percussão apresentando todos os períodos musicais, desde a renascença ao século XXI, incluindo a Música Popular Brasileira e o Jazz. Para este encerramento de temporada, se apresentarão os quartetos de trompas e trombones e o quinteto de metais, formado por dois trompetes, uma trompa, um trombone e uma tuba, que é uma formação tradicional oriunda da concepção de câmara de uma orquestra sinfônica. O surgimento dessa formação dos metais no séc. XX, só foi possível após a invenção das “chaves” ou “pistons” no séc. XIX.




Serviço

Orquestra Sinfônica de Sergipe

"Terças Musicais"

Biblioteca Pública Epifânio Dória

Terça-feira, 16 de outubro de 2012,20h

Entrada Franca.

Guilherme MANNIS, direção artística

Daniel NERY, coordenação

Quarteto de Trompas

Emerson Melo
Denisson Alves
Luis Carlos Assunção
José Oliveira

Richard WAGNER 
Pilgerchor aus " Tannhäuser" 
Brautchor aus " Lohengrin".

Carl Maria V. WEBER 
Jägerchor aus "Der Freischütz". 


Quinteto de Metais

José de Arimatéia, trompete

José Marcos Santos, trompete 
Èder Filipe, trombone;
Bruno Menezes, trombone Baixo

Emerson Melo, trompa

Jose PADILLA, ( arr. by Andy Clark ) 

El Relicario

Geoge BIZET, (arr. by Fred Mills ) 
Suite Carmen (Overture) 

George F. HANDEL (arr. Walter Barnes) 
Hallelujah Chorus from Messiah

Fats WALLER (arr. by Lee Norris)
Ain't Misbeshavin'

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Paisagens sonoras do Brasil por Villa-Lobos são destaque da ORSSE e Coro Sinfônico

Sonoridades dos Pássaros e a Vida Noturna Carioca nos Choros N. 10

A Orquestra Sinfônica de Sergipe apresenta nesta semana dois importantes concertos. O primeiro, quarta feira, dia 10, às 20h30, no Teatro Tobias Barreto, será um concerto de câmara com o duo Presgrave-Cesetti, do violoncelista Fábio Presgrave e do pianista Durval Cesetti, apresentando o “Rio de Janeiro na Belle Époque”, com obras dos brasileiros Henrique Oswald e Glauco Velazquez. 

Já na quinta-feira, dia 11, no mesmo local e horário, a orquestra e o Coro Sinfônico da ORSSE pela série Cajueiros VII, ainda traz uma das maiores obras compostas na Bélle Époque brasileira: os Choros n. 10, de Heitor Villa-Lobos. A Orsse tem a direção artística do maestro Guilherme Mannis e está sob a coordenação da Secretaria de Estado da Cultura e patrocínio do Banese e do Instituto Banese. 

O concerto terá a regência de Marcelo de Jesus, maestro adjunto da Orquestra Amazonas Filarmônica. Amigo da Orsse, estará presente pela quarta vez a frente da orquestra; e também solos de violoncelo do professor da UFRN, Fábio Presgrave, importante referência desse instrumento no Brasil. Destaque especial à participação do Coro Sinfônico da Orsse, cantando os versos do poeta Catulo da Paixão Cearense nos Choros n.10. Completam o concerto obras de Gaetano Donizettii, Richard Strauss e do baiano Wellington Gomes.

A série Cajueiros tem por finalidade trazer obras de grande envergadura orquestral e muitas vezes inéditas no Estado. Neste concerto do dia 11, portanto, todas elas serão executadas pela primeira vez em Sergipe. Desta forma, executar os Choros n. 10 do Villa-Lobos, mostra ao público sergipano os paradigmas e a fértil imaginação deste compositor, que transformou a música da belle époque carioca em música universal e atemporal. Já o poema "Rasga o Coração", de Catulo da Paixão Cearense, retrata a alma brasileira em sua plenitude.

No dia 10 o concerto de câmara, terá entrada franca, já no dia 11 os ingressos estão disponíveis a preços populares, à venda na bilheteria do Teatro Tobias Barreto.

Serviço:

Orquestra Sinfônica de Sergipe

1. Música de Câmara com o duo Presgrave-Cesetti
Dia 10 de outubro de 2012, 20h30
Teatro Tobias Barreto
ENTRADA FRANCA

Fabio PRESGRAVE, cello
Durval CESETTI, piano

Glauco VELASQUEZ
Serenata
Segunda Fantasia para Violoncelo e Piano (1912)

Henrique OSWALD 
Elegia

Gabriel FAURÈ
Segunda Sonata para Violoncelo e Piano, op. 117
Allegro, Andante e AllegroVivo


2. Série Cajueiros VII 

Dia 11 de outubro de 2012, 20h30
Ingressos R$20,00 e R$10,00

Marcelo DE JESUS, regente
Fabio PRESGRAVE, violoncelo

Coro Sinfônico Da Orsse
Daniel FREIRE, regente
Verônica SANTOS, preparadora vocal

Gaetano DONIZETTI (1797-1848)
Abertura da ópera “Don Pasquale”

Wellington GOMES (1960)
Fantasia para violoncelo e orquestra

Richard STRAUSS (1864-1949)
Romanza para violoncelo e orquestra

Heitor VILLA-LOBOS (1887-1959)
Choros n. 10

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Orsse encerra a série Laranjeiras homenageando Luiz Gonzaga



Na próxima sexta-feira, 05 de outubro, às 20h30, a Orquestra Sinfônica de Sergipe retorna ao Teatro Atheneu encerrando sua série "Laranjeiras" de Concertos. Celebrando a reforma que colocou o teatro entre os mais modernos da região Nordeste, a orquestra apresentou no decorrer do ano, uma série especial que contemplou obras de grande expressividade da música universal, além de homenagear, como as séries Cajueiros e Mangabeiras, os frutos da nossa terra. Os ingressos já se encontram à venda na bilheteria do teatro a preços populares.

O Teatro Atheneu, espaço inaugurado em 28 de março de 1954, influenciou a criação e construção de diversos grupos teatrais no Estado, sendo então considerado como o mais importante centro da intelectualidade sergipana. Após três anos em reformas, o teatro reabriu suas portas neste ano, com o compromisso de continuar disseminando a cultura em Sergipe e prosseguir como testemunha do encanto e da emoção, traduzidos através da música, dança, arte circense e dramaturgia. Para essa ocasião, a Orsse fará uma homenagem especial a um dos principais ícones da música popular brasileira, Luiz Gonzaga, em comemoração ao seu centenário. Completa ainda o evento o Concerto duplo para duas flautas de Franz Dopller, com a participação dos solistas: Érica Rodrigues e Luiz Fernando Barbosa Jr.


O ritmo tradicional forró se une à magia do universo sinfônico para traduzir em sons uma homenagem àquele que difundiu a cultura nordestina dentro e fora do Brasil, Luiz Gonzaga. Com isso, apresentamos nesse programa, brasileiros que de alguma forma conseguiram destacar a música brasileira em outros países, através de orquestras renomadas e maestros consagrados. De Lorenzo Fernandez, o ritmado Batuque, que faz parte da suíte sinfônica “Reisado de Pastoreio”em seguida a famosa Gonzaguiana, arranjo orquestral de Cyro Pereira, um dos fundadores da Orquestra Jazz Sinfônica (SP), a peça reúne várias canções de Luiz Gonzaga.

Mantida pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), com patrocínio do Instituto Banese e  do Banese, a ORSSE continua a potencializar a música clássica no Estado, além de proporcionar à população experiências com renomados artistas nacionais e internacionais.

Serviço:
ORQUESTRA SINFÔNICA DE SERGIPE
SÉRIE LARANJEIRAS V - Centenário de Luiz Gonzaga
05 de outubro de 2012,20h30
Teatro Atheneu
Ingressos R$20 e R$10

Guilherme MANNIS, regente 
Érica RODRIGUES, flauta 
Luiz FERNANDO BARBOSA Jr., flauta 

Albert Franz DOPPLER  (1821-1883)
Concerto para duas flautas em ré menor

Oscar Lorenzo -FERNANDEZ  (1897 - 1948)
Batuque

Claudio SANTORO (1919-1989) 
Ponteio

José Ursicino da SILVA , Maestro "Duda" (1935)
Tributo ao "Rei do Baião"

Cyro PEREIRA (1929-2011)
Gonzaguiana


Ingressos à venda na bilheteria do Teatro Atheneu por R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia, de segunda a sexta, das 13h às 20h, e durante os eventos. Mais informações através do telefone (79) 3213.7468.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

ORSSE se apresenta com Coro Sinfônico na série “Sons da Catedral III”

Foto: Marcelinho Hora

Na próxima quinta-feira, dia 27 de setembro, às 19h, a Catedral Metropolitana de Aracaju receberá a Orquestra Sinfônica de Sergipe, sob a regência do maestro titular, Guilherme Mannis. Nessa terceira edição da série "Sons da Catedral", o grupo apresentará juntamente com o Coro Sinfônico da Orsse a obra Nänie de Johannes Brahms. Completam o programa a Sinfonia “Haroldo na Itália” de Hector Berlioz, com solos de Márcio Rodrigues e duas Suítes Aquáticas de George F. Handel. A entrada é franca e o concerto é realizado em parceria com a Arquidiocese de Aracaju que gentilmente concede o espaço exuberante na sua arquitetura e apropriado no seu tamanho e acústica.

Com a realização da Secretaria de Estado da Cultura, sob a direção artística de Guilherme Mannis e o patrocínio do Banese e do Instituto Banese, a Orquestra Sinfônica de Sergipe diversifica sua atuação e aproxima-se do cotidiano do público sergipano quando leva a orquestra para apresentações em locais diversos, porém muito apropriados para execução acústica das peças escolhidas, a maioria delas executadas pela primeira vez no Estado de Sergipe, como a Sinfonia Haroldo na Itália de Berlioz. "Ampliamos o repertório da orquestra para que além de bons músicos, o nosso Estado possua bons ouvintes, um público conhecedor do universo sinfônico e orgulhoso da Orquestra Sinfônica que os representa”, ressalta Mannis.

Aldaci Souza/Infonet
A parceria é uma continuidade do apoio constante que o Governo do Estado de Sergipe, com o patrocínio do Banese, vem proporcionando à manutenção dos patrimônios históricos do Estado e à memória intangível da nossa cultura. Nesse concerto vamos celebrar a reforma da Catedral, uma idealização do Governador Marcelo Déda, que tem à frente o vice-governador Jackson Barreto e a Secretária de Estado da Cultura Eloísa Galdino.

Foto:Marcele Christinne
O Coro Sinfônico da ORSSE, por sua vez, desempenha papel fundamental na Temporada de Concertos, criado em 2005, é formado por naipes de 43 vozes, femininas e masculinas, sob a regência do pianista Daniel Freire e a competente preparação vocal do soprano Verônica Santos. Ainda para 2012, o Coro Sinfônico, se apresentará em dois momentos com a ORSSE: nos Choros N. 10 de Villa-Lobos e no magnífico Oratório de Natal de J. S. Bach.


Sobre o repertório
Nänie foi composta por Brahms em 1881. O texto, que é cantado pelo coro, é do grande poeta alemão Friedrich Schiller, sendo uma meditação acerca da morte de todas as coisas, particularmente as mais belas. Em suma, o poema discorre sobre a fragilidade da beleza diante da morte e a música foi composta em um momento de perdas irreparáveis com a morte de jovens amigos de Brahms, em um curto espaço de tempo.  Já Haroldo na Itália, é uma sinfonia em quatro movimentos para viola solista, será executada por Márcio Rodrigues, spalla da ORSSE. Nesta peça, a "idéia fixa" (motivo condutor), é exercida por este instrumento, e permeia todos os movimentos da obra, simbolizando o héroi em questão.


Ficha técnica
Orquestra Sinfônica de Sergipe
Série Sons da Catedral III
27 de setembro de 2012, 19h00
Catedral Metropolitana de Aracaju
Entrada Franca

Guilherme MANNIS, regente
Márcio RODRIGUES, viola

CORO SINFÔNICO DA ORSSE
Daniel FREIRE, regente
Verônica SANTOS, preparadora vocal

Johannes BRAHMS (1833-1897)
Nänie, Op. 82, para coro e orquestra

Hector BERLIOZ (1803-1869)
Sinfonia Haroldo na Itália, Op. 16


George Frideric HANDEL (1685-1759)
Suíte da Música Aquática  n. 1 em Fá, HWV 348
Suíte da Música Aquática n. 2 em Ré, HWV 349

Serviço
Catedral Metropolitana de Aracaju – Arquidiocese de Aracaju
Pç. Olímpio Campos - Centro, Aracaju - SE, 49010-040
Tel.: (79) 3214-3418D. José Palmeira Lessa – Arcebispo
D. Henrique Soares – Bispo Auxiliar
Pe. José Dácio dos Santos - Pároco



terça-feira, 4 de setembro de 2012

Concerto de Gala: Isaac Karabtchevsky rege a Orquestra Sinfônica de Sergipe



Para definir uma orquestra pela sua dedicação e pelo seu compromisso com a sociedade na qual se insere, basta observar um exemplo digno em Sergipe, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE), que pertence a um grupo respeitável de orquestras brasileiras, que preza pela execução tanto das consagradas composições musicais, quanto inova em apresentar peças inéditas em Sergipe e no Brasil. A importância conquistada no cotidiano dos sergipanos é tão evidente que o grupo consegue atrair inúmeras celebridades de carreira internacional. É o que vai acontecer no próximo dia 13 de setembro, quando chega à Aracaju um dos mais importantes regentes brasileiros de sólida carreira internacional, o maestro Isaac Karabtchevsky.


O concerto “Cajueiros VI” dedica seu repertório ao compositor russo Piotr I. Tchaikovsky, com a Quinta sinfonia e o Concerto para Violino em ré maior, com solos do violinista Luíz Filíp, o primeiro brasileiro a integrar, no ano de 2012, a prestigiosa Orquestra Filarmônica de Berlim, sendo o primeiro brasileiro a tocar como músico efetivo deste grupo.. A Orsse tem a direção artística do maestro Guilherme Mannis, a gestão da Secretaria de Estado da Cultura e o patrocínio do Banese e Instituto Banese. O concerto será realizado no Teatro Tobias Barreto, às 20h30. Os ingressos custam R$20 e R$10.
Receber Karabtchevsky é uma grande honra para Sergipe, como sustenta o maestro Guilherme Mannis: “Maestro Isaac é um ícone. Rege as melhores orquestras por todo o mundo, e é o símbolo da competência do músico brasileiro: alia o talento ao conhecimento e ao enorme carisma que possui. Trata-se de figura emblemática, que muito nos honra com sua presença nesta temporada. Uma grande experiência para os músicos e principalmente para nosso público.”

Ficha técnica

 “Cajueiros VI”
Orquestra Sinfônica de Sergipe

Teatro Tobias Barreto, quinta-feira, 13 de setembro, 20h30
Ingressos: R$20,00 (inteira), R$10,00 (meia)

Isaac Karabtchevsky, regente
Luiz Filíp, violino

Piotr Ilytch TCHAIKOVSKY
Concerto para violino, op.35, em ré maior
Sinfonia nº5, op.64, em mi menor

Informações: (79) 3179-1480
Bilheteria: (79) 3179-1496
Realização: Governo de Sergipe – Secretaria de Estado da Cultura
Patrocínio: Banese e Instituto Banese

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Maestro Guilherme Mannis rege a ORSSE na série Laranjeiras do Teatro Atheneu



A Orquestra Sinfônica de Sergipe sob a regência do maestro Guilherme Mannis e com a participação especial do violista Cleverson Cremer apresentará na próxima sexta-feira, dia 31 de agosto, às 20h30, no Teatro Atheneu, o concerto da série Lanranjeiras IV, ampliando seu público e dando oportunidade para que, cada vez mais pessoas tenham acesso à música de concerto. O Atheneu, por sua vez, é uma casa especial para a orquestra: além da acústica perfeita aos espectadores, a sala foi palco de apresentações memoráveis na história da cidade de Aracaju. Os ingressos já estão disponíveis na bilheteria do Teatro, a preços populares.

Mantida pela Secretaria de Estado da Cultura, com patrocínio do Banese e Instituto Banese, a Orsse é considerada uma das orquestras mais atuantes do Brasil, destacando em seus concertos os maiores nomes da música sinfônica nacional e internacional. "Temos as Séries Cajueiros e Mangabeiras no Teatro Tobias Barreto, a Série Sons da Catedral e, finalmente, a Laranjeiras, no conceituado e totalmente repaginado, Teatro Atheneu. É sempre muito bom tocar por lá”, como explica o maestro Mannis.

Sobre o programa:
Buscando sempre novos repertórios e paradigmas de interpretação, a ORSSE traz sempre momentos especiais para esta série realizada no Teatro Atheneu. As três obras para a quarta edição da série Laranjeiras destacarão as cordas, o maior e principal naipe das orquestras: de Johann Christian Bach, o belo e pouco executado Concerto para Viola e Orquestra, que terá como solista o violista Cleverson Cremer, chefe das violas da Orsse. Em seguida, a Suíte para Cordas do tcheco Leoš Janáček. Concluindo o concerto, a Sinfonia n. 100, de Joseph Haydn, chamada de “Militar”, cujo apelido deve-se  ao uso de uma abundante percussão alla turca, sobretudo no segundo movimento, ao estilo das marchas militares executadas em campanhas bélicas. A obra está composta de quatro movimentos, nos quais se destacam o uso das madeiras e da percussão sobre uma base de cordas.

Sobre o solista:
Chefe de naipe das violas da Orquestra Sinfônica de Sergipe, Cleverson Cremer Iniciou seus estudos musicais com doze anos de idade, na cidade de Curitiba/PR. Seu primeiro instrumento foi o violino, cujos estudos estenderam-se até 2007, sob orientação de Aramis Teixeira Mendes (destaque em Curitiba por seus trabalhos com arranjos para Orquestra de Câmara e Sinfônica). Realizou  master-class com Carmelo de Los Santos (Prof. da University of New México). De 1999 á 2001 participou da orquestra juvenil da UFPR. Ingressou no curso avançado em música na EMBAP (Escola de Música e Belas Artes do Paraná), classificando-se em primeiro lugar no teste seletivo, neste período esteve sob orientação de Roberto Hubner (destacado professor da instituição), e no ano de 2008 substituiu violino pela viola. Participou do quarteto Concertin ni, como violista em 2007. No mesmo período, atuou no quarteto Music como violinista. Foi da Orquestra PUC-PR, também como violista. Realizou oficina de viola em Cascavel sob orientação de Marcio Ferreira Rodrigues, com quem mantêm aulas particulares desde o início de 2009.


Serviço:

Orquestra Sinfônica de Sergipe

“Laranjeiras III”

Teatro Atheneu

Sexta-feira feira, dia 31 de agosto de 2012, 20h30

R$20,00 inteira e R$10,00

Programa

Guilherme MANNIS, regente 
Cleverson CREMER, viola


Johann Christian BACH (1743-1814)
Concerto para viola e orquestra em dó menor Op. 34

Leoš JANÁČEK (1854-1928)
Suíte para cordas, JW 6/2

Joseph HAYDN (1732-1809)
Sinfonia nº100, em sol maior,”Militar Hb. 1/100


Contatos:
Teatro Atheneu/Bilheteria:  79 3179-1910
Orquestra Sinfônica de Sergipe:  79 3179-1480

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

ORSSE recebe maestro italiano Francesco La Vecchia

Dando continuidade às celebrações do Ano da Itália no Brasil, na próxima quinta-feira, 23, às 20h30, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE) seguirá com sua temporada de concertos no Teatro Tobias Barreto, com a série "Cajueiros VI". O evento de nível internacional trará o renomado maestro italiano Francesco La Vecchia, e os ingressos já estão disponíveis na bilheteria do teatro a preços populares.

Após o sucesso da ópera Tosca em maio, que foi o primeiro concerto da comemoração ítalo-brasileira, a ORSSE que tem a direção artística do maestro Guilherme Mannis, coordenação da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e patrocínio do Banese e Instituto Banese, tem oferecido ao público um vasto repertório, capaz de incluir sinfonias de períodos históricos variados, obras pouco conhecidas ou inéditas em Sergipe e no Brasil, e ao lado de solistas e regentes de carreira internacional. Este é o caso do maestro La Vecchia: grande expoente da música erudita na Europa, maestro titular da Sinfônica de Roma desde 2002, e estará de forma inédita a frente da concerto dessa quinta-feira, 23 de agosto de 2012.

No programa, o singular Intermezzo da ópera Cavalaria Rusticana, do italiano Pietro Mascagni, um dos trechos mais conhecidas do compositor. Em seguida, o Idílio de Siegfried, de Richard Wagner, que foi o presente de aniversário à sua esposa Cosima. Concluindo a noite, a magistral Sinfonia n. 3 em Mi bemol, a "Eroica", de Ludwig van Beethoven. Inicialmente dedicada à Napoleão Bonaporte, a sinfonia é uma das mais revolucionárias e controversas de toda a história da música universal.

Sobre o maestro convidado:

Nascido em Roma, Francesco La Vecchia começou os estudos musicais sob os cuidados do avô materno. Aos nove anos, realizou o seu primeiro concerto. Aos 18, liderou e fundou o Quinteto Boccherini e, aos 23, concebeu a ideia da Fondazione Arts Academy, em Roma. Aos 27, foi declarado Regente Permanente da Orchestra della Istituzione Sinfonica di Roma. Descrito pelo compositor italiano Goffredo Petrassi como um maestro “talentoso, com sensibilidade musical rara e uma das mais avançadas técnicas de regência”, La Vecchia regeu mais de cem entre as mais ilustres orquestras do mundo e fez gravações no Japão, México, Canadá, Brasil e Itália. Nas oito temporadas desde que a Orchestra Sinfonica di Roma foi fundada, La Vecchia regeu cerca de 300 apresentações, com mais de 100 programas sinfônicos diferentes, 18 missas e oratórios e 21 óperas.

PROGRAMA

Orquestra Sinfônica de Sergipe

Série "Cajueiros VI" - Homenagem ao ano da Itália no Brasil

Teatro Tobias Barreto
23 de agosto , quinta-feira, 20h30
Ingressos R$20 e R$10

Francesco La Vecchia, regente convidado

Pietro MASCAGNI
Intermezzo Sinfônico

Richard WAGNER
O Idílio de Siegfried

Ludwig van BEETHOVEN
Sinfonia nº3, op. 55, em mi bemol maior, Eroica

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Orquestra Sinfônica de Sergipe apresenta a série “Música nas Igrejas” na Paróquia São José

Igreja S. José - Cantata de Natal - 2011. Foto: Tarcísio Barreto

Nesta sexta-feira, 17 de agosto, às 20h, a Igreja São José, será palco de uma apresentação especial da Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE). A série ‘Música nas Igrejas’, sob regência dos maestros Guilherme Mannis e Daniel Nery. Através desse projeto, a ORSSE atrai um público novo e permite o acesso à cultura em vários pontos da cidade. Para este momento, um repertório bastante diversificado, com obras presentes no imaginário poético do grande público, por exemplo o Idílio de Siegfried, uma "Saudação Sinfônica de Aniversário”, assim mesmo que Richard Wagner escreveu na dedicatória à sua esposa Cosima, no dia 25 de dezembro de 1870. Em seu diário ela relembra que neste dia acordou com uma música que subia pelas escadas. Wagner, colocou uma orquestra tocando nas escadas, veio até ela com seus cinco filhos e ofereceu-lhe a partitura de O Idílio. 
Música Barroca - Guilherme Mannis, regente e cravista - Março 2011

Outras peças da noite, serão a Sinfonia n. 8 de Franz Schubert e a Sinfonia n. 3 “Eroica” de Beethoven. A igreja é um local de reflexão espiritual e comunga com os ideais da música, permitindo a paz de espírito e a união familiar. 

A Orquestra Sinfônica de Sergipe é mantida pelo Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) com o patrocínio do Banese e do Instituto Banese. Para este concerto contaremos com o apoio da Paróquia S. José e dos representantes da Pastoral Familiar. 

O quê: Concerto da ORSSE – ‘Música nas Igrejas’
Quando: 17 de agosto de 2012, 20h
Onde: Igreja São José
Praça Tobias Barreto, 248 - B. São José
Aracaju / SE
Telefones: (79) 3214-2463

ENTRADA GRATUITA<<<<<

Programa:

Guilherme Mannis e Daniel Nery, regentes

Wolfgang Amadeus MOZART
Abertura da ópera "As Bodas de Fígaro"

Franz SCHUBERT
Sinfonia nº8, Inacabada (primeiro movimento)

Richard WAGNER
O Idílio de Siegfried

Ludwig van BEETHOVEN
Sinfonia nº3, em mi bemol maior, Eroica (último movimento)

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

TERÇAS MUSICAIS _ Ensemble de Percussão da ORSSE e Convidados



Biblioteca Epifânio Doria 
14 de Agosto de 2012, 20h
Entrada Franca.

ORQUESTRA SINFÔNICA DE SERGIPE
Direção Artística: Guilherme Mannis
Assistente de Direção: Daniel Nery


TEMA: MINIMALISMO, RITMO E BRASILIDADE

PERCUSSÃO
James Bertisch
Ismark Nascimento
Julio Fonseca
Sidclei Santana
Músicos Convidados:
PIANO
Daniel Freire

VIOLINOS
Márcio Rodrigues
Marcos Gonçalo
Fabiano Dias
Eduardo Linzmayer
Rafael Gonçalves 

VIOLAS
Cleverson Cremer
Rafael Marques

CELLOS
Thiago Salvino Violoncelo
Juliana Gois Violoncelo

CONTRABAIXO
José Reginaldo

PROGRAMA

Steve Reich MUSIC FOR PIECES OF WOOD
Convidado: Lucas Farias

Jack McKenzie SONG FOR TROMBONE AND PERCUSSION
Convidado: Bruno Menezes –Trombone

Victor Hugo da Rocha DOENTE EM BARCELONA * estréia mundial

Ney Rosauro CADÊNCIA PARA BERIMBAU

Dimitri Cervo TORONUBÁ
Adaptação e Regência: James Bertisch




James Bertisch
Júlio Fonseca
 
Sidiclei Santana



Ismark Nascimento

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Solistas de Piano e Violino são as atrações do Concerto da série Cajueiros V



Nesta próxima quinta-feira, 09 de agosto, às 20h30, a data é de celebração. Com obras marcantes do repertório clássico mundial, a Orquestra Sinfônica de Sergipe marcará seus seis anos sob a direção artística e regência do maestro titular Guilherme Mannis, período em que teve grande desenvolvimento e consolidação frente ao público sergipano e na comunidade artística brasileira. Com incentivos do Governo de Sergipe e patrocínio do Banese e Instituto Banese, a ORSSE viveu grandes momentos nos últimos anos, dentre os quais destacam-se a realização de seis temporadas completas de concertos, Turnê Brasil 2009, participação em festivais e gravação de um disco em homenagem à Villa-Lobos. O concerto ainda contará com dois grandes solistas, trazidos para Aracaju em parceria com a Dell'Arte produções musicias e B.Braun Sharing Expertise: a violinista carioca Gabriela Queiroz e o renomado pianista Sérgio Monteiro, que executarão o Concerto Duplo para Violino e Piano de Mendelssohn. Os ingressos já estão disponíveis na bilheteria do Teatro Tobias Barreto, a preços populares.

O maestro Mannis ressalta a importância do trabalho coletivo na edificação do grupo sergipano: “A Orsse é hoje muito respeitada, em todos os lugares que vou. Hoje temos uma orquestra orgulhosa de seu público e sua programação, uma admiração mútuo. O público sergipano aprendeu a amar a música sinfônica com a Orsse, a respeitar seus músicos. Isso nos credencia para futuras conquistas institucionais, e nada mais é do que o fruto do trabalho de cada profissional envolvido.”


No repertório do concerto, além da famosa Abertura Festival Acadêmico de Brahms, será abordada a peça mais emblemática da história da música de concerto ocidental: a “Quinta Sinfonia”, de Ludwig van Beethoven. Seu inconfundível motivo é visto por alguns analistas como o “Destino que bate à porta”: este motivo atravessa todos os movimentos de forma arrebatadora, criando no ouvinte uma sensação única, que só a música clássica pode proporcionar. Completa o concerto o belíssimo Concerto duplo para piano e violino de Mendelssohn, com solos de Gabriela Queiroz e Sérgio Monteiro.

Se o “Destino bate a porta” de nosso público, ele já foi capaz de, em poucos anos, construir em Sergipe um projeto consolidado, com a vinda de novos músicos sergipanos e de outros Estados, com a presença sempre marcante de grandes maestros convidados e solistas presentes nas principais salas do Brasil e em grandes salas do mundo. A Orsse prepara agora novos saltos, com a preparação de novas temporadas e consolidação institucional, essencial para sua manutenção e independência artística.


Sobre o maestro Guilherme Mannis, tem se firmado como um dos grandes nomes da nova geração da música brasileira, como já foi descrito no ano passado pela Revista Concerto, a mais conceituada publicação da música clássica nacional. Além de seu trabalho pioneiro em Sergipe, concebendo rumos ousados para a Orsse, tem seu trabalho reconhecido com convites regulares para reger muitas orquestras pelo Brasil e algumas no exterior. Destacam-se participações recentes e próximas na Petrobras Sinfônica, Amazônas Filarmônica, Sinfônica do Paraná, Sinfônica de Rosário (Argentina), World Youth Orchestra e Sinfônica de Roma (Itália), entre tantas outras.

Programa:

“CAJUEIROS V” - Comemorando 06 anos do Maestro Guilherme Mannis com a ORSSE


Orquestra Sinfônica de Sergipe
Teatro Tobias Barreto
Agosto, 09, quinta-feira, 20h30
Ingressos: R$20 e R$10 (meia)

Guilherme Mannis, regente
Gabriela Queiroz, violino
Sérgio Monteiro, piano

Johannes BRAHMS
Abertura Festival Acadêmico, Op. 80

Felix MENDELSSOHN-BARTHOLDY
Concerto duplo para violino, piano e orquestra, em ré menor, Op. 64

Ludwig van BEETHOVEN
Sinfonia n. 5 em dó menor, Op. 67


Ficha Técnica:

Cajueiros V
Orquestra Sinfônica de Sergipe
Teatro Tobias Barreto
Guilherme Mannis, regente
Gabriela Queiroz, violino
Sérgio Monteiro, piano

Patrocínio:
Banese
Instituto Banese

Apoio:
Secretaria de Estado da Cultura
Segrase
e especialmente para esse concerto os artistas contam com o apoio da :
B. Braun Sharing Expertise
Revista Concerto
Del'Arte Soluções Culturais